Categoria: Worshipping (adorando pés)
Autor: Daniel







Era um dia qualquer, “dia normal”, como costumam dizer. O sol quente refletia na minha janela, osfuscando minha visão. Quero algo gelado! Mas que preguiça de sair da cama...

Campainha tocando. Quem será? Eu não queria ver ninguém naquele dia, queria ficar só, apenas só.

Vi aquela pessoa parada ali na minha porta, não acreditava no q estava vendo, sim era ele e daí? Um grande amigo, q virou namorado, q acabamos num casamento de quase 5 anos. Enfim, estava tremendo da cabeça aos pés, era susto com euforia, tesão com sentimentos, tudo ali, agora.

Ele estava diferente, um pouco mais magro mas mais forte, estava na praia... sim eu moro em um apartamento beira-mar... Faziam exatos dois anos q não nos víamos, ele estava lindo. Aqueles olhos verdes me dominavam de imediato, o sorriso de um deus grego, sim, eu o amava mas não era somente carnal, era amor de companheiro, de colega, de namorado.

Convidei-o para entrar depois de dar um forte abraço. Sentamos no sofá, conversamos e em como toda história de ex-namorados q tem um final mal resolvido, já estávamos na cama... Que saudade daqueles beijos onde as linguas se entrelaçam formando uma só, uma só boca, um só beijo.

Estava quente, peguei gelo, 16 horas da tarde em pleno horario de verão, fechei um pouco a janela e só deixava uma brecha da luz do sol iluminando o quarto, os olhos dele brilhavam, parecia duas esmeraldas q nunca seriam encontradas em lugar algum, a mais preciosa jóia: aquele olhar esverdeado olhando para meu rosto pedindo tudo q tínhamos direito.

Ele sempre foi podólatra assim como eu, sempre gostávamos de “joguinhos eróticos” para não cair no marasmo, na rotina. Ambos não queriam isso. Achamos a solução: vamos “jogar” nossas fichas e ve o q rola.
Rapidamente tirei sua camiseta, eu via aquele suor escorrendo lentamente pelo seu peito.

Me excitava, as gotas brilhavam ali, na meia luz, minha lingua molhava mais o peito dele, aquele suor gostoso, morno, altamente afrodisíaco, tudo ali estava perfeito. Me ajoelhei aos pés da cama, ele se estendeu, completo, o cara que eu mais amava, só meu.

“Tire meu tenis, dessamarre com a boca” - disse ele

Prontamente, devagar, fui dessamarrando seu tenis, estava quente. Tirei e fui colocando seus pés, ainda de meia no meu rosto, quente, gostoso, com um cheiro peculiar q só ele tinha. Eu cheirava aquelas meias, passava a lingua, ele gemia, se contorcia tamanho tesão sentia nos pés.

“Tire minha meia, agora!”

Meu tesão aumentou quando percebi q sua voz estava mais dominadora. Aquelas solas lindas ali na minha frente, grandes, nem muito grossa, nem muito lisa, apenas perfeitas. Eu passava aquelas solas no meu rosto, eu sentia aquela textura, aquele cheiro, aquilo me deixava louco de tesão. Minha lingua passava por entre os dedos, ele os forçava para prender minha lingua e gemia cada vez mais.

“É disso q vc gosta né? Dos meus pés rossando na sua boca, na sua cara”.

Naquele momento o tesão era tanto e a quimica era tão boa q nada soava engraçado ou brega, era paixão por pés. Percorri minha lingua em suas pernas até chegar no seu pau. Chupava delicamente e aos poucos eu ia mais rápido. Ele forçava minha cabeça contra o pau dele, me afogava, adorava, me deliciava sentindo aquele pau dentro da minha boca.

Desci aos pés e comecei a chupar todos os dedos, lindos, grandes, perfeitos. Tamanho 44. Era tudo q eu queria. Chupava loucamente cada dedo daqueles pés e ele enterrava tudo dentro da minha boca. Um tesão que realmente não da pra explicar, só da pra sentir.

“Quero um footjob gostoso, quero gozar muito!”

Comecei a masturbá-lo com os pés. Ele tremia, gemia de tesão. Seu corpo alto, esbelto, forte se contorcia ali, na minha frente enquanto eu massageava seu penis com meus pés.

Percebi q ele ia gozar, sua expressão de prazer era uma explosão! Senti aquele nectar em meus pés, no meu peito, em suas pernas, aquele liquido reluzente a luz do sol misturado com o suor era de beleza única. Passei minha lingua em suas pernas para sentir o gosto daquele néctar feito sob medida, só para mim.

Isso aconteceu a 3 anos atrás, logo depois me mudei de cidade e nunca mais nos vimos. Hoje moro com meu atual namorado, estamos no inicio de uma relação muito bacana. Contei sobre o meu fetiche, é claro q ele achou um pouco estranho, era novidade para ele, do tipo:

“Ah, já ouvi falar mas não entendo muito, vc não acha estranho?”

É obvio q não! Se fosse estranho eu não te contaria, affffffffffffffff!
Hoje, ele é tão podólotra como eu e nos damos muito bem!