Categoria: Tickling
Autor: proprietário do blog







Oi, sou um cara de 29 anos, 1,92m, 80kg, completamente louco por pés masculinos desde muito cedo. Calço 44. A história que vou contar aconteceu mesmo e, embora já faça algum tempo, foi, sem dúvida, muito inusitada pra mim. Devo isso ao Orkut. O que um Orkut pode fazer na vida de um cara!

Dia desses, recebi um recado de um cara da minha cidade em que ele dizia que os pés dele estavam a minha disposição... Na mesma hora visitei o perfil dele. Lá havia fotos dos pés dele ... e que pés! Tamanho 40, bem cuidados, solas lisinhas, porém, pra minha supresa, descubro que o cara é hetero. Mesmo assim levei pra teclar no MSN e descubro que além de hetero, ele é comprometido (noivo), tem 32 anos e é amante de pés femininos. Fiquei sem entender muita coisa a princípio, mas logo ele me explicou tudo. Ele disse que gostaria de ter os pés adorados por um podólatra, já que na nossa cidade pra ele era dificil encontrar uma mulher que curtisse pés masculinos. Depois de algumas conversas por MSN, marcamos um encontro. Combinamos de nos encontrar num shopping de pouco movimento daqui. Na hora marcada ele chegou.

Percebi que ele tava um tanto nervoso. Afinal ele só tinha tido uma única experiência anterior com um podólatra, que fora uma massagem. Depois que ele ficou mais a vontade, convidei ele pra ir comigo ate o meu carro no estacionamento subterraneo. O estacionamento tava quase vazio e eu havia estacionado o carro em local estratégico. O escurinho do local ajudava o fumê dos vidros.

Pedi que ele sentasse no banco de trás enquanto eu sentei no banco da frente. Baixei um pouco o banco e pedi q ele colocasse os pés no meu colo. Ele estava de meias sociais pretas... peguei primeiro o pé esquerdo e comecei a cheirar ele com meia... nossa, cheirinho bom de pé calçado um dia todo. Tirei a meia e comecei a cheirar e lamber aquela sola gostosa... depois chupei cada dedinho e passei um tempo nisso. Depois fui para o pé direito e fiz igual. Ele batia uma punheta loucamente e já tava quase gozando. Eu tambem queria gozar. Enquanto eu lambia a sola do seu pé direito, botei meu pau pra fora e comecei a roçar no pé esquerdo dele

Gozamos juntos! Ele na punheta e eu nos pé dele. Só que na hora ele deu três gemidos de prazer. Adorei isso! Nos limpamos, nos despedimos e combinamos de continuar contato por MSN.

Após esse primeiro encontro ele me confessa por MSN o desejo de realizar uma fantasia: Ele queria ser amarrado e torturado com cócegas. Tickling! eu nunca havia feito tickling em ninguem. Aos poucos, fui tomado por grande curiosidade e tratei logo de ver alguns videos e ler relatos sobre isso.

É... eu estava até achando interessante a idéia de fazer tickling em alguém, mas havia um problema: o local. Eu não tinha um e nem ele. Resolvi então sugerir um motel e, para a minha surpresa, ele aceitou logo de cara. Caraca! Pela primeira vez na vida, eu estava prestes a levar para um motel um cara, que se dizia hetero convicto e, ainda por cima noivo, às vésperas do próprio casamento! Isso me deixava ainda mais excitado.

Marcamos nosso 2o. encontro. Era noite. Fui apanhá-lo no local combinado, depois do trabalho e fomos direto para o motel . Dessa vez, era eu quem estava com um frio na barriga e ele super a vontade. Eu havia separado um material para minha primeira sessão de tickling: cordas, uma pena de ganso (arranquei do espanador lá de casa!) e uma tampa de caneta.

Mal entramos no quarto, ele foi logo tirando a roupa toda. De repente, lá estava ele: só de cueca e meias pretas, na minha frente e ao meu inteiro dispor. Foi aí que percebi o quanto ele é gostoso... braços fortes, coxas definidas e um belo volume entre as pernas. Meu pau começou a ficar duro dentro da cueca. Ah, se ele curtisse homens também...

Eu não quis arriscar agarrá-lo ali mesmo. Não quis correr o risco de estragar tudo, até porque ele já havia me feito prometer que eu não tentaria nada com ele, além de fetiche. Aceitei e respeitei as condições dele. Poxa, já era inusitado demais eu estar com um cara hetero dentro de um quarto de motel.

Deitei-o na cama, vendei seus olhos e amarrei seus braços, um em cada lado da cabeceira. Fui, então, até os pés dele. Comecei a cheirá-los por sobre as meias... hmmmmm o cheiro estava mais forte que da 1a. vez. Tirei as meias e dei um banho de língua naqueles pés gostosos... ah, delicia! Depois os amarrei bem juntinhos e os prendi ao pé da cama.

Comecei a fazer cócegas nele pelos pés... eu percorria cada pedacinho daquelas solas lisinhas, brincava de desenhar formas, subia e descia nelas, primeiro com os dedos da minha mão e depois com a tampa da caneta. Enquanto isso, ele ria pra valer e tentava se defender do tickling. Depois subi e comecei a coçar a barriga e as axilas dele. Foi aí que ele riu ainda mais. Sério, eu não tinha a exata noção do quanto isso era divertido.

Hora de usar a pena de ganso! Percebi que ele ja tava querendo se defender de qualquer movimento meu, mesmo antes de eu me aproximar. Resolvi esperar ele descansar só um pouquinho. Quando ele se distraiu, deflagrei um ataque surpresa nele sem piedade. Passei a pena nas axilas, atrás das orelhas, perto do nariz e na barriga. Ataquei novamente suas solas. Passamos mais um bom tempo nisso. Foi muito divertido.

Depois que ele já tava cansado de tanto rir, resolvi desamarrá-lo. Ele ficou deitado de bruços, com aquelas belas solas a mostra pra mim. Não resisti, ajoelhei ao pe da cama e dei uma lambida em cada sola... elas estavam bem suadinhas. Meu pau estava quase explodindo de tesao dentro da cueca... botei ele pra fora e comecei a roçar gostoso naquelas solas macias e quentinhas, até que as lambuzei com a minha porra... Delícia demais!

Depois que ele se casou, eu não mais tive notícias dele. Quem sabe a gente não se esbarra por aí de novo qualquer dia. Nunca vou esquecer essa experiência.

Não parou por aí. Ele tem uma 2a segunda fantasia a realizar comigo... Em breve vou publicar em detalhes aqui.